sexta-feira, 1 de junho de 2007

JIMI JOHNSON FOI PRA GUERRA

Jimi Johnson empunhou sua metralhadora automática e mergulhou na selva tropical africana, o pequeno e miserável país encontrava-se atolado na mais sangrenta carnificina dos últimos decênios. Desde a posse do Ministro Imperial Zazi Baba, a tribo dos Zulabanas vinha promovendo incessantes ataques às forças de segurança do governo e ameaçavam invadir a Zona das Trincheiras (paraíso das plantações de Papoula), lugar conhecido pelo grande numero de minas terrestres ativadas, cujos moradores (muitos deles) pulavam numa única perna pelas ruas de terra de Akpur, recebendo auxilio das Tropas Aliadas Moderadas.
Jimi acendeu um cigarro como se fosse cinema e seus companheiros fizeram o mesmo. Imensos mosquitos carnívoros ficavam à espreita de algum pedaço de braço nu para que fosse devorado (em questão de segundos) – a fumaça dos cigarros ajudava a mantê-los afastados.
A situação tornara-se caótica de fato quando a parte territorial delimitada e destinada à tribo dos Abuganis, da qual o Ministro Imperial fazia parte, foi anexada ao Estado Maior (responsável por 90% da produção de petróleo e por 75% da extração de carvão do país). Os Zulabanas acusavam o governo fascista de Zazi Baba de favorecer os Abuganis, e esses últimos estavam armados até os dentes, pois eram cristãos apoiados pelo Grande Ocidente. Evidente que Jimi e seus amiguinhos ignoravam tudo isso, eles estavam apenas a fim de inaugurar seus brinquedinhos sangrentos e salvar sabe-se-lá-o-quê.

PRONUNCIAMENTO POLITICÓIDE PARA TRANQUILIZAR AS PESSOAS E / OU AUMENTAR O ÍNDICE DE APROVAÇÃO DO PRESIDENTE:

- Temos ótimas noticias para a nossa imensa massa trabalhadora e dedicada que nos últimos anos tanto têm cooperado para que o Governo converta grande parte do dinheiro arrecadado com os impostos que os senhores pagam em melhorias significativas para toda nossa sociedade. É com imensa alegria que lhes informo: os magníficos esforços dos nossos heróicos soldados (em especial àqueles que infelizmente pagaram com o preço da própria vida por tão valoroso beneficio à geração presente - e todas as gerações futuras) têm resultado em consideráveis vitórias para a liberdade da África Centro-Sul. Cerca de 20 pequenos vilarejos já foram reconquistados pelas nossas forças só nos últimos quatro dias e em todos esses lugares a população local pôde retomar suas atividades normais. Portanto senhores, peço a colaboração de todos vocês, sabemos que nesse momento faz-se necessária compreensão de todos. Devo tranqüiliza-los a respeito das obras nos hospitais e escolas, que em virtude da terrível e inesperada guerra africana foram deixadas de lado, assim que a situação estiver sob controle em pelo menos 80% do território atualmente ocupado pelos terroristas Zulabanas, faremos uma nova licitação com empresas interessadas em dar continuidade à construção dessas obras tão importantes para o desenvolvimento pleno da nossa nação. Muito obrigado pela atenção de todos, que Deus esteja conosco e lembrem-se de que cada um de vocês é responsável pela nossa inevitável vitória nessa guerra contra o fascismo gratuito dos inimigos da democracia.

DE VOLTA PARA A SELVA

Jimi e todos os outros soldados da tropa apagaram os cigarros, não era conveniente, àquela altura, serem identificados pelo inimigo na escuridão da selva que agora adentravam. E eram cerca de quarenta homens pisando no chão lodoso e desconhecido, cada vez mais fundo, cada vez mais longe, adentrando, adentrando, adentrando.....até que fossem enfim, engolidos pela selva africana.

Continua.

lá pelos lados do Azerbaijão ou da Libéria ou da Coréia ou.........enquanto houver água.

Um comentário:

Alessandro disse...

É sempre assim...